Filme Irmão, onde estás?

O’ Brother, where art thou

Realizador: Joel & Ethan Coen

Actores: George Clooney, John Turturro

Música: T. Bone Burnett

Duração: 103 min.

Ano: 2001

O livro Odisseia escrito pelo poeta grego Homero, já foi várias vezes transposto para cinema. O enredo é uma parábola sobre a vida do Homem na Terra. Este filme é mais uma versão dessa obra, dando um toque de comédia e ligeireza a uma história séria e com a qual nos identificamos, pois é a história de cada um de nós.

Um prisioneiro resolve escapar da prisão com dois companheiros que também se querem evadir. Traçam um plano e estratégias. Marcam um objectivo: alcançar o dinheiro escondido numa casa que está prestes a ser submersa pelo enchimento de uma barragem. Depois disso, separar-se-iam. O líder do grupo ambiciona também reconquistar a sua amada, que tal como a Penélope da Odisseia, está rodeada de pretendentes.

Ao longo da viagem vão-se suceder inúmeras peripécias. Aí ressalta o bom senso do líder, que vai conseguindo resolver os problemas, em especial, os que envolvem falta de firmeza e decisão na manutenção do rumo traçado. São muitos os motivos que quase os fazem desistir. As tentações para se contentarem com a liberdade que já alcançaram, sem se esforçarem por chegar à meta, são uma constante. Os personagens que se lhes apresentam no caminho, representam estereótipos de pessoas e factos com que deparamos no nosso dia–a-dia. A perseverança é um desafio. Mas, o líder não desiste perante a adversidade. Avalia cada situação e continua em direcção ao que fora planeado, tendo sempre bem presente a imagem da sua família e do seu lar, para onde quer regressar. O êxito por alcançar o objectivo não o leva a esquecer-se da sua própria realização pessoal, na qual os laços afectivos desempenham um papel preponderante nesta história… escrita há milhares de anos atrás e que é, ao fim e ao cabo, um retrato da existência de cada um.

No filme, há dois planos fora do normal, um no início e outro quase no fim: o encontro com o destino. Não o destino cego e imparcial que cai sobre cada um, mas a ocasião que passa e que está nas nossas mãos analisar, ponderar e seguir ou não. Para isso é preciso reflectir, aprender com a experiência própria e alheia e depois aplicar o conhecimento adquirido a novas situações. E melhor do que esperar pelas oportunidades, é criar essas mesmas oportunidades.

O happy end final e a apelativa banda sonora tornam agradável o filme, mas a história apesar de possuir uma narrativa linear, não faz mais do que lançar pistas… que terão de ser percorridas por todos.

Tópicos de análise:

1. Qual o objectivo vital de cada um dos membros da empresa?

2. A coesão da equipa para alcançar as metas propostas.

3. Analisar e avaliar cada situação vivida.

4. Saber manter o rumo traçado sem nos distrairmos com o acessório.

Encontra aqui uma curta apresentação de algumas dezenas de filmes, contendo os dados principais de cada um deles, um resumo e alguns tópicos de análise. Não se trata de filmes aconselhados por nós, mas apenas de algumas ideias que podem ajudar a escolher um filme ou a tirar partido dele do ponto de vista educativo.

Colaboração de Paulo Martins, Mestre em História e Doutor em Cinema.

Sugestões

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que isso não é problema para si, mas pode cancelar se o desejar. Aceito Saber mais